MARÇO DE CELEBRAÇÕES # ANTONIO CABRAL FILHO – RJ

MULHER INFINITA
DIA INTERNACIONAL DA MULHER
VARAL DO BRASIL Nº28 MARÇO 2014
 
 
AQUI, eu fui incluído pela EDITORA JACQUELINE AISENMAN  com um conjunto de trovas homenageando a Escritora mineira NATÉRCIA SILVA VILLEFORT COSTA, também advogada e servidora pública da ALEMG, aposentada.
*
CENTENÁRIO DE CAROLINA MARIA DE JESUS
*
Para CAROLINA MARIA DE JESUS
 eu compus uma série de trovas, e abordo a psicologia de CAROLINA, sua mineirice, suas desconfianças, seu modo arredio com o mundo, pois como descendente de escravos, que também sou, não é possível se deixar “levar” por nada nem por ninguém. Daí, ela ter sido mulher solteira, como sua mãe e, até onde dá para perceber por seus diários, seu avô materno também tinha coração nômade.
*
CAROLINA MARIA DE JESUS EM TROVAS
HOMENAGEM AO SEU CENTENÁRIO
1
Carolina, de nascença,
é Maria de Jesus,
sem saber qual a sentença,
carregou a sua cruz.
2
De nascença, foi bastarda,
mas foi seu SÓCRATES NEGRO
quem mostrou-lhe quantas jardas
anda quem não paga arrego.
3
Muito cedo foi pra lida,
suar o sal do seu pão
e conhecer esta vida
nos palcos da exploração.
4
Primeiro, aturou madame,
aguentando humilhação,
mas viu tanta coisa infame,
que virou arribação.
5
Foi fazer do dia-a-dia
pelas vias da cidade
templo de filosofia,
sem implorar caridade.
6
Trabalhou de sol a sol,
como faz o garimpeiro,
mas a pepita maior
foi o seu berço primeiro.
7
Foi pessoa de respeito,
erguendo alto seu pejo,
guardou as mágoas do peito
no seu ” Quarto de despejo.”
8
Mas Carolina é Maria,
inspiração de Jesus;
a “Casa de Alvenaria”
veio aliviar a cruz.
9
Passou por muitos percalços,
mas nada sujou seu nome;
nem a força dos fracassos
nem os “Pedaços da Fome.”
10
Irradiou seus “Provérbios”
no “Diário de Catita”,
sem ligar a lei dos verbos
à lei da sua desdita.
11
Da Sacramento mineira
para a “Canindé paulista”,
Carolina foi guerreira
metendo a cara na pista.
12
Sempre foi mulher solteira,
mãe à suas próprias custas;
como não foi a primeira,
fez para si leis mais justas.
13
Carolina de Jesus,
Maria livre de laço,
foi livre porque faz jus
ao seu quatorze de março.
14
Carolina proletária,
Maria de Jesus é
também revolucionária
pelas letras de Tomé.
15
Carolina e Castro Alves
trazem bandeira no mastro:
Coincidem nos entraves
e no quatorze de março.
16
Mas Carolina é demais,
extraiu seu pão da rua
e quanto mais ela sua
mais crê naquilo que faz.
***
CASTRO ALVES
DIA NACIONAL DA POESIA.
**

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s