Ode Ao Povo / Eça De Queirós – PT * Antonio Cabral Filho – RJ

Eça de Queiroz – ODE AO POVO

ostra1-225x300

Autoria de Eça de Queiroz

Há no mundo uma raça de homens com instintos sagrados e luminosos, com divinas bondades do coração, com uma inteligência serena e lúcida, com dedicações profundas, cheias de amor pelo trabalho e de adoração pelo bem, que sofrem, que se lamentam em vão.

Estes homens são o povo.
Estes homens estão sob o peso do calor e do Sol, transidos pelas chuvas, roídos do frio, descalços, mal nutridos; lavram a terra, revolvem-na, gastam a sua vida, a sua força, para criar o pão, o alimento de todos.
Estes são o povo, e são os que nos alimentam.
Estes homens vivem nas fábricas, pálidos, doentes, sem família, sem doces noites, sem um olhar amigo que os console, sem ter repouso do corpo e a expansão da alma, e fabricam o linho, o pano, a seda, os estofos.
Estes homens são o povo, e são os que nos vestem.
Estes homens vivem debaixo das minas, sem o Sol e as doçuras consoladoras da Natureza, respirando mal, comendo pouco, sempre na véspera da morte, rotos, sujos, curvados, e extraem o metal, o minério, o cobre, o ferro, e toda a matéria das indústrias.
Estes homens são o povo, e são os que nos enriquecem.
Estes homens, nos tempos de lutas e de crises, tomam as velhas armas da pátria, e vão, dormindo mal, com marchas terríveis, à neve, à chuva, ao frio, nos calores pesados, combater e morrer longe dos filhos e das mães, sem ventura, esquecidos, para que nós conservemos o nosso descanso opulento.
Estes homens são o povo, e são os que nos defendem.
Estes homens formam as equipagens dos navios, são lenhadores, guardadores de gado, servos mal retribuídos e desprezados.
Estes homens são os que nos servem.

E o mundo oficial, opulento, soberano, o que faz a estes homens que o vestem, que o alimentam, que o enriquecem, que o defendem, que o servem?

Primeiro, despreza-os; não pensa neles, não vela por eles, trata-os come se tratam os bois, deixa-lhes apenas uma pequena porção dos seus trabalhos dolorosos; não lhes melhora a sorte, cerca-os de obstáculos e de dificuldades; forma-lhes ao redor uma servidão que os prende e uma miséria que os esmaga, não lhes dá proteção, e, terrível coisa, não os instrui: deixa-lhes morrer a alma.

É por isso que os que têm coração e alma, e amam a justiça, devem lutar e combater pelo povo.
E ainda que não sejam escutados, tem na amizade dele uma consolação suprema.

                                                                                                                           (Distrito de Évora)

Fonte de pesquisa
Eça de Queiroz
Citações e Pensamentos/ Editora Leya
Organização de Paulo Neves da Silva 

Fonte:

VÍRUS DA ARTE & CIA

http://virusdaarte.net/

*

DESDE JAMPRUCA – Blog de Crônicas Auto Biográficas * Antonio Cabral Filho – RJ

1872f-antonio2bcabral2bfilho2b2b282b122b13

Antonio Cabral Filho, poeta.

contista e cronista; mineiro de Frei Inocêncio, tecnico em contabilidade, radialista amador, jornalista sem diploma, pai de Edson Luis e Ana Maria, companheiro de Roseli e avô de três netos, até agora.

O blog DESDE JAMPRUCA

 é mais uma iniciativa sua e trás como foco publicar as suas crônicas autobiográficas. Mas tal escolha não se dá por acaso; é que para não se utilizar dos métodos memória ou biografia, preferiu a crônica, dada a sua literariedade.

ANTONIO CABRAL FILHO

pretende desenvolver este projeto sem planejamento nenhum, ou seja, quando ele tiver um texto – crônica para inserir no blog, o fará. E espera contar com a compreensão dos amigos, tanto presentes como os vindouros.

DESDE JAMPRUCA

http://antoniocabralphilho.blogspot.com.br/ 

aguarda a sua visita !!

***

Concurso 1ª Antologia 100 Trovas Sobre Cachaça * Antonio Cabral Filho – Rj

*

ANTOLOGIA BRASIL LITERÁRIO

unnamed

promove  o concurso:

1ª ANTOLOGIA 100 TROVAS SOBRE CACHAÇA

Art. 1º – DO CONCURSO 

O concurso, 1ª Antologia 100 Trovas Sobre Cachaça, idealizado, promovido e organizado pelo escritor Antonio Cabral Filho, tem a cachaça apenas como tema central, podendo versar sobre quaisquer assuntos correlatos.

Art. 2º – DAS INSCRIÇÕES

Poderão se inscrever somente autores brasileiros, maiores de 18 anos, residentes no Brasil, com apenas (1) trova por participante.

  • 1º – A inscrição é gratuita. Será aceita no período de 15 de março a 15 de agosto de 2015, com o envio da trova em Time New Romain tamanho 14, espaço simples e resumo biográfico em cinco linhas, através do e-mail antologiabrasiliterario@gmail.com, dirigido à  1ª Antologia 100 Trovas Sobre Cachaça, Org. Antonio Cabral Filho.
  • 2º – A trova, escrita em língua portuguesa, deve ter:

a ) obrigatoriamente, métrica setessilábica;

b ) rima, que poderá ser, abab, abba ou aabb;

c ) os necessários sinais de pontuação;

d ) letras maiúscula, somente, no início das frases que compõem os versos.

Art. 3º – DA COMISSÃO JULGADORA

A Comissão Julgadora é soberana em suas decisões e conferirá notas de 0,1 a 10 cujo resultado será irreversível. As trovas classificadas,  até o limite de cem (100), participarão da 1ª Antologia 100 Trovas Sobre Cachaça, cabendo,  aos autores a responsabilidade quanto à autoria e inscrição do texto.


Art. 4º – DA 1ª ANTOLOGIA 100 TROVAS SOBRE CACHAÇA

A 1ª Antologia 100 Trovas Sobre Cachaça terá 100 páginas destinadas às trovas classificadas, o equivalente a uma (1) página por autor, antecedidas de dez (10) páginas a cargo da Comissão Julgadora, resultando em um livro de 110 páginas, em formato e-book (livro digital) que será entregue, via e-mail, aos participantes. A todos, que se interessarem, estará disponível gratuitamente via internet. Será publicado no blog: ANTOLOGIA BRASIL LITERÁRIO

http://antologiabrasilliterario.blogspot.com.br/

Ficará a cargo dos autores a livre divulgação em outros espaços.


Art. 5º – DAS RESPONSABILIDADES

O promotor do concurso informa que o ato de inscrição significa aceitação das normas, acima expostas, e a consequente liberação da obra para integrar este certame. A divulgação dos resultados será publicada no blog ANTOLOGIA BRASIL LITERARIO, de propriedade do promotor do evento, até 15 de setembro de 2015, seguida da publicação e envio do livro aos autores, conforme Art. 4º .

Parágrafo único – Todos os inscritos terão os trabalhos publicados, um em cada postagem, no blog do concurso.


COMISSÃO ORGANIZADORA

Rio de Janeiro, 15 de março de 2015

***